sexta-feira, maio 06, 2011

Oh não...

Às vezes gostava de ser peixeira. Daquelas espalhafatosas que quando armam confusão toda a gente foge com medo. Quando eu era mais nova havia uma assim aqui em Faro. Chamava-se "PP". Fazia-nos esperas à porta do colégio e quando lhe apetecia lá dava umas chapadinhas. Era só querer e arranjava um motivo qualquer, tipo: "estás a olhar para mim? toma lá...", "o meu cabelo não cresce porque tu existes: toma lá mais uma...", "falaste com o ex ex namorado da minha amiga? toma duas...", "pisaste o mesmo chão que eu? tomaaa mais outra". Era mesmo assim. E às vezes nem precisava de motivo. Um pesadelo. Só que tinhamos 13 anos. Ouvíamos e calávamos. E eu, criancinha, pensava que quando crescesse não ia aturar nada daquilo. Ai de alguém que se metesse comigo que ia ver. Mas não. Hoje tenho 21 e está tudo na mesma: continuo a ouvir e calar. Não sou nada dada a confusões, mas nesta cidade elas existem ao virar de cada esquina. Ontem uma "PP Project" puxou-me o cabelo porque falei ao namorado dela, que por acaso é meu amigo e trabalhou comigo na praia o verão passado. Já nessa altura, ela tinha acabado com ele porque me viu dar-lhe uma chapadinha nas costas. Uau. Mas passaram uns meses, então já me tinha esquecido que existem pessoas a fazer estas coisas. E ontem, ela não queria ter só puxado o cabelo. Foi um puxar de cabelo que dizia: "anda cá para o pé de mim que vais levar mais". Mas depois devem te-la agarrado, porque não vi mais nada. Ainda ouvi algo como "estaladão", mas não senti nada por isso deve ter sido só ameaça. Mas o que importa é que eu continuei ali na minha, sem reacção, tipo espantalho... não tenho vida para aturar isto, pronto. E se ela tivesse saltado tipo gata assanhada para cima de mim, eu morria ali no chão. E é sempre nestas alturas que gostava de ser peixeira. De partir para cima do inimigo tipo doida e espetar-lhe as unhas na cara (que nojo). Mas pelos vistos isso não vai acontecer. Resta-me ficar na minha inocência, e esperar que ela me venha pedir desculpa da próxima vez que me vir (eu estarei de boné, aviso já). E talvez seja melhor entrar para umas aulas de auto-defesa. Até porque em 4 meses posso sofrer muitooooooos atentados!

11 comentários:

Happy Brunette disse...

Beeeeeeeemmm que aventura!! Haverão sempre dessas, mas para a próxima não precisas de saber muito enfia-lhe os dedos no olhos e corre!! Hahahaha
Eu também não sou nada dada a peixaradas, detesto mas quando elas vêm até nós não há outra hipótese...

XoXo ♥

susana disse...

Adorava ser dessas pessoas, têm lata para tudo, nunca perdem. Mas sem nunca chegar ao ponto de puxar cabelos, claro.

Miss Kitty disse...

Beeem... Eu não sou dada a peixeirada mas se me fizerem algum coisa levam a dobrar. Não me consigo ficar. :/

**

S* disse...

Às vezes, mais vale. Ao menos despeja-se logo a raiva toda.

Miss Fit disse...

Infelizmente há gente que não se vê ao espelho e quando não estamos bem connosco próprias dá em situações como essas. Mas se fosse comigo, também agia da mesma maneira que tu, se bem que ao primeiro estalo, podiam vir 5 que ao chão eu não ia ;) Mas tenta não ceder a provocações, és melhor do que isso!

Shiine* disse...

Para cenas dessas tou cá eu. Mas, sem puxar o cabelo. Porque comigo é logo ao murro. Se se metem com o meu namorado, e atenção que ele não dá bola, pq se desse eu só estaria a fazer figura de parva também não me fico. Mas, não sendo uma colega. Isso é demais! E, eu na tua situação tinha-lhe dado um valente murro, ela só faz isso porque sabe que não respondes. Beijo *

aroc disse...

lol, ignora x)
nao vale a pena peixeiradas, e deixar ao nivel dela :D

Hapi disse...

Conheço umas quantas assim e fico apática perante elas -.-'

Palco do tempo disse...

as vezes temos que fazer peixeirada :)

Eli disse...

Eu também sou como tu até um certo ponto. Mas saltando-me a tampa faço peixeirada por 2 pessoas.

Ana disse...

Bem, mesmo assim, tu defende-te! Isso é uma loucura, não podes ficar quieta e levar!