quinta-feira, abril 15, 2010

Hello Stranger

Há um momento. Há sempre um momento em que escolhemos apaixonarmo-nos ou resistirmos. Escolher apaixonarmo-nos é como saltar dum precipício à noite. Não sabemos nem quando vamos parar de cair, nem o que nos espera lá em baixo, nem quem estará lá para nos acudir. Fechamos os olhos e desejamos com todas as forças sobreviver à queda sem um único arranhão e sem um único fio de cabelo despenteado pelo vento. Eu não sei qual foi o meu momento, mas lembro-me do precipício. Dos arranhões. Do cabelo embaraçado. Por isso, tenho a certeza que também tive um e que... saltámos juntos.

23 comentários:

Someone disse...

Há o momento da queda da incerteza.. mas há também o momento em que sentes que essa queda valeu a pena, o incerto passou a certo. Sim mas há alturas em que vemos que afinal tivemos grandes arranhões, olha pra eles e cura-os, é sinal que amadureces-te mais um pouc com mais lição de "vida".

Su disse...

Eu sei exactamente qual foi o momento em que me atirei...nunca pensamos na queda o problema é esse...

Alexandre disse...

Há mesmo esses momentos de tristeza!!

Lathife Cordeiro {..aquela} disse...

É sempre melhor saltar junto.

Ah, acabei de estrear minha revista eletrônica virtual. Seja benvinda ao www.visaoarte.com.br.

Bjs :*

S. disse...

Gostei mesmo muito do post!! xD O problema é quando saltamos sozinhas, aí, os arranhões demoram muito a desaparecer...

beijinho

Annie disse...

Gostei :)

Luna disse...

Qdo saltamos com alguém ao mesmo tempo, por mais arranhões que tenhamos, a queda acaba sempre por valer a pena! O problema é quando saltamos sozinhas...

bj

MeninaDeSonhos disse...

Quando nos apaixonamos loucamente, o nosso pensamento parece que bloqueia, sentimos o coração bater cada vez mais forte no nosso peito, sonhamos cada vez mais e esquecemo-nos das possibilidades que tempos em sofrer. Amar profundamente, torna-se o nosso ar, prendemo-nos a esse sentimento e só a ele. Saltámos juntos com aquela pessoa, não pensamos nas consequencias das nossas atitudes espontaneas e genuinas.


ADOREI O TEXTO. ESTÁ LINDO,MAS LINDO MESMO! descreveste integralmente as minhas ideias à cerca de amar e cairmos, sentindo cada arranhão, que traço do amor.

Izzie disse...

adorei o texto...

Hermione disse...

quando saltamos de mãos dadas, corremos o risco de nos arranhar ou... corremos o risco de ir para o país das maravilhas. é uma questão de escolha.

Rafael disse...

Saltar, seja para onde for, é sempre um risco. Em conjunto é um risco que costuma valer a pena

Kikas disse...

por mais que o aterrar de forma má seja certo, mesmo que num dia distante.. eu acho que vale sempre a pena a queda.

Notacandygirl disse...

Exacto, apaixonar-nos é saltar mesmode um precipicio. Mas quando quando acaba a paixao, de onde caimos nos?

Bolaxinha disse...

Tá excelente o texto!
Simples e realista!
Quero mais textos destes!

Camille disse...

Ola Jojozinha,
Adorei o titulo do seu blog que vi no blog de outra pessoa. E acho que tb vou gostar do blog. Tenho certeza de que sua vida tambem daria um livro. Quanto a se apaixonar eu tenho uma amigo que diz que do céu ao meio fio é queda livre, portanto um pouco de prudencia vai bem...
Beijos,
Cam

Maçã e Canela disse...

Gostei muito

Pipoca dos Saltos Altos disse...

É saltar no vazio e sem rede...muito bonito o teu post

Pips disse...

That's why they call it "To fall in love"!

ST disse...

eu já me atirei... já caí e ainda ninguem me veio socorrer! ainda doi muito

S* disse...

E eu atiro-me sempre de cabeça.

R. disse...

So true..
Gostei bastante dos teus textos, identifiquei-me com alguns até :)

Pacica ♔ disse...

Concordo completamente e acrescento dizendo que acredito também que isso acontece porque de facto (e gostem os românticos ou não) nós escolhemos de quem gostamos e por quem nos apaixonamos, consciente ou inconscientemente, é uma escolha nossa.

rita disse...

concordo com tudo, desde a primeira palavra até ao fim, consegues transmiti-lo de uma forma que até parece que idealizas o que passamos.
beijinho*